• ethereumEthereum (ETH) $ 3,922.70 3.02%
  • bnbBNB (BNB) $ 602.96 0.41%
  • solanaSolana (SOL) $ 167.68 2.36%
  • staked-etherLido Staked Ether (STETH) $ 3,916.49 2.87%
  • usd-coinUSDC (USDC) $ 0.999134 0.12%
  • xrpXRP (XRP) $ 0.532609 0.33%
  • the-open-networkToncoin (TON) $ 6.46 2.49%
  • cardanoCardano (ADA) $ 0.463425 0.87%
  • avalanche-2Avalanche (AVAX) $ 37.57 1.25%

Professores jurídicos estudam SEC sobre o caso Coinbase.

Foto do autor

Geraldo Manuel

Publicado em

A Securities and Exchange Commission (SEC), órgão regulador dos mercados financeiros dos EUA, está atualmente em um embate legal com a Coinbase, uma das maiores plataformas de criptomoedas do mundo. O cerne dessa disputa é a interpretação da SEC sobre o que constitui um “contrato de investimento” sob a lei de valores mobiliários. Esta interpretação, segundo destacados acadêmicos do direito, parece desafiar a compreensão tradicional que foi estabelecida há cerca de cem anos.

Um coletivo de seis renomados juristas, que inclui professores das prestigiadas Fordham Law School, Yale Law School e University of Chicago Law, uniu-se para redigir um “amicus brief” em defesa da Coinbase. Em sua argumentação, eles enfatizam que a definição de “contrato de investimento”, conforme entendido historicamente, é mais restrita do que a atual perspectiva da SEC.

Em junho, a SEC moveu uma ação contra a Coinbase, acusando-a de operar sem os devidos registros como corretora, câmara de compensação e bolsa. Uma peça chave dessa alegação é a visão da SEC de que pelo menos 13 criptomoedas, que são comercializadas na plataforma Coinbase, se enquadram como valores mobiliários não registrados.

Aprofundando-se na história, os acadêmicos ressaltam que, tradicionalmente, para que um “contrato de investimento” fosse reconhecido, era imperativo que existisse um acordo formal entre as partes compradora e vendedora. Esta interpretação tem suas raízes nas decisões associadas às leis “blue-sky”. Adicionalmente, eles destacam que a Suprema Corte dos EUA, em várias ocasiões, reiterou essa visão, sublinhando que qualquer “contrato de investimento” reconhecido em instâncias superiores do judiciário americano sempre envolveu um acordo contratual entre as partes.

Reflexões e Questionamentos:

  1. Evolução da Interpretação Legal: De que maneira a visão contemporânea da SEC sobre “contrato de investimento” se desvia das interpretações jurídicas tradicionais?
  2. Repercussões no Ecossistema Cripto: Caso a SEC prevaleça no litígio contra a Coinbase, quais seriam as potenciais consequências para outras exchanges de criptomoedas e para o cenário cripto global?
  3. Relevância do “Howey Test”: Qual é o papel do “Howey Test” na determinação da natureza de um “contrato de investimento”, especialmente no universo das criptomoedas?

Deixe um comentário