• ethereumEthereum (ETH) $ 3,846.61 0.94%
  • bnbBNB (BNB) $ 601.85 0.25%
  • solanaSolana (SOL) $ 168.53 1.11%
  • staked-etherLido Staked Ether (STETH) $ 3,846.40 0.9%
  • usd-coinUSDC (USDC) $ 0.999916 0.03%
  • xrpXRP (XRP) $ 0.526270 1.28%
  • the-open-networkToncoin (TON) $ 6.48 1.46%
  • cardanoCardano (ADA) $ 0.458153 1.93%
  • avalanche-2Avalanche (AVAX) $ 36.88 3.13%

Coreia do Sul Reforça Medidas Contra Atividades Ilícitas da Coreia do Norte

Foto do autor

Geraldo Manuel

Publicado em

Coreia do Sul Reforça Medidas Contra Atividades Ilícitas da Coreia do Norte no Mundo Cripto

A Coreia do Sul está adotando medidas preventivas contra as atividades não autorizadas da Coreia do Norte no universo das criptomoedas. O governo sul-coreano planeja apresentar um projeto de lei com o objetivo de rastrear e congelar ativos criptográficos roubados por grupos de hackers de elite da Coreia do Norte. Estes ativos têm sido utilizados para financiar programas de armas ilegais da Coreia do Norte.

O projeto está em desenvolvimento há quase 10 meses, com autoridades buscando neutralizar as criptomoedas e outros ativos digitais que a Coreia do Norte adquiriu por meio de atividades de hacking. Esta iniciativa passou por revisões para incluir estratégias eficazes de fortalecimento da segurança nacional, conforme orientação do Presidente Yoon Suk Yeol.

Um oficial de alto escalão, que optou por não se identificar, destacou a necessidade de melhorias urgentes na infraestrutura de cibersegurança do país. Esta preocupação surge da percepção de que a administração anterior negligenciou a cibersegurança para evitar conflitos com a Coreia do Norte.

O Serviço Nacional de Inteligência da Coreia do Sul informou que a Coreia do Norte realiza cerca de 650.000 tentativas de invasão todos os dias, visando exclusivamente a Coreia do Sul. Em uma carta aberta, um grupo de legisladores criticou o líder norte-coreano Kim Jong Un por orquestrar esses ciberataques, acusando-o de transformar seu país em uma grande organização criminosa.

Além de monitorar e apreender ativos criptográficos norte-coreanos, o novo projeto de lei sul-coreano também propõe a criação de um comitê nacional de cibersegurança sob a supervisão direta do presidente. Este comitê terá poderes para proibir a produção, importação e venda de produtos que possam comprometer a cibersegurança.

As atividades cibernéticas da Coreia do Norte têm sido altamente lucrativas, com o país acumulando mais de $3 bilhões em roubos digitais, conforme dados da Chainalysis. Estes ciberataques financiaram cerca de metade do programa de mísseis da Coreia do Norte, conforme declarado pela conselheira de segurança nacional dos EUA, Anne Neuberger, no ano anterior.

As estratégias empregadas por grupos de hackers patrocinados pelo estado estão se tornando cada vez mais sofisticadas. Por exemplo, o grupo Labyrinth Chollima, apoiado pelo governo, foi responsável por um ciberataque à empresa de tecnologia americana JumpCloud. Este ataque teve como objetivo acessar os clientes cripto da empresa, demonstrando a estratégia de “ataques à cadeia de fornecimento”. Este método, que envolve o ataque a provedores de serviços para alcançar seus clientes ricos, tornou-se uma técnica especializada dos hackers norte-coreanos.

Reflexões Importantes:

  1. Desafios de Cibersegurança: Como o foco reforçado da Coreia do Sul na cibersegurança afetará as relações diplomáticas com a Coreia do Norte?
  2. Implicações Financeiras: Com os lucros significativos da Coreia do Norte provenientes de roubos cibernéticos, como essas medidas impactarão sua economia e financiamento militar?
  3. Ameaça Cibernética Global: Diante das táticas avançadas de grupos de hackers patrocinados pelo estado, como as nações podem colaborar globalmente para combater essas ameaças e garantir um espaço digital mais seguro?

Deixe um comentário