• ethereumEthereum (ETH) $ 3,848.89 0.27%
  • bnbBNB (BNB) $ 602.44 0.21%
  • solanaSolana (SOL) $ 168.93 0.34%
  • staked-etherLido Staked Ether (STETH) $ 3,846.00 0.35%
  • usd-coinUSDC (USDC) $ 1.00 0.07%
  • xrpXRP (XRP) $ 0.526279 0.65%
  • the-open-networkToncoin (TON) $ 6.47 1.86%
  • cardanoCardano (ADA) $ 0.459059 1.03%
  • avalanche-2Avalanche (AVAX) $ 36.84 2.24%

Queima de pneus para alimentar a mineração de criptomoedas

Foto do autor

Geraldo Manuel

Publicado em

Carol Etheridge ficou surpresa ao descobrir sobre a queima de pneus para alimentar a mineração de criptomoedas perto de sua casa. Ela vive na Pensilvânia, próximo à usina Panther Creek, que agora minera criptomoedas.

“É inacreditável que alguém possa queimar pneus”, comentou Etheridge.

Steve Chuckra, outro residente local, destacou que o condado de Carbon tem um histórico de descaso com o meio ambiente devido à usina.

“Vivi toda a minha vida na Pensilvânia e vejo que a negligência ambiental é uma constante. Permitir tais práticas só perpetua essa tradição negativa”, disse Chuckra.

Em 2021, a empresa Stronghold Digital Mining Inc. comprou Panther Creek para mineração de criptomoedas. Desde então, a usina foi penalizada várias vezes por poluição atmosférica pelo Departamento de Proteção Ambiental (DEP) local. A Stronghold transporta resíduos de carvão de diferentes lugares, principalmente de Swoyersville, para gerar eletricidade para a mineração.

Agora, a empresa quer usar pneus como combustível. Eles planejam aquecer pneus velhos para obter componentes como aço, negro de fumo e combustível derivado de pneus (TDF), que será usado para gerar eletricidade.

Naomi Harrington, representante da Stronghold, explicou ao Guardian que os TDFs são úteis quando o resíduo de carvão tem baixa energia.

A usina Panther Creek solicitou ao DEP permissão para usar pneus como 15% de seu combustível. Após essa solicitação, grupos ambientais e moradores locais pediram ao DEP para rejeitar a proposta devido aos riscos à saúde.

Os mineradores veem essa abordagem como lucrativa, enquanto a mineração de criptomoedas é conhecida por seu alto consumo de energia. Só o Bitcoin consome energia equivalente a países como Suécia ou Malásia.

A disposição de pneus é um problema ambiental. No Colorado, por exemplo, os depósitos de pneus são um problema, atraindo mosquitos e doenças como Zika e Nilo Ocidental.

Russell Zerbo, do Conselho do Ar Limpo, afirmou que a queima de pneus é prejudicial ao meio ambiente e à saúde. A EcoMENA também destacou os perigos da queima de pneus.

Linda Christman, do grupo Save Carbon County, ressaltou a vulnerabilidade dos moradores próximos à usina.

Zerbo acredita que a mineração de criptomoedas é um desperdício e que a queima de pneus não deve ser permitida.

Apesar das preocupações, há debates sobre o impacto ambiental da mineração de Bitcoin. Um estudo de Cambridge mostrou que apenas 39% da energia usada na mineração é renovável. Em 2022, legisladores dos EUA propuseram maior transparência nas emissões de mineração de criptomoedas.

Deixe um comentário